Thermas Piratuba Park Hotel

Faça sua Reserva

Influências da imigração italiana mostra vestígios até hoje em Piratuba

Espalhados pelos estados do sul e do sudeste, os ítalo-brasileiros começaram a chegar ao Brasil ainda no século XIX. Os italianos começaram a imigrar em número significativo para o Brasil a partir da década de 1870, impulsionados pelas transformações socioeconômicas em curso no Norte da península itálica, que afetaram sobretudo a propriedade da terra.

A escolha pelo país foi, exatamente, para contrapor o problema. A carta de Pero Vaz a Dom Manoel, quase 400 anos antes, já detalhava a fertilidade do solo brasileiro. “Uma terra que em se plantando tudo dá”, dizia o escriva. Além disso, a abolição da escravatura no Brasil oferecia oportunidades de trabalho aos novos imigrantes.

A maior parte dos italianos que chegaram em Santa Catarina eram originários de uma região organizada ao redor da cidade de Trento, ao norte do país. Já no fim do século XIX, imigrantes se instalariam em Santa Catarina em regiões isoladas como Rio dos Cedros, Rodeio, Ascurra, Pedras Grandes, Nova Veneza e Turvo, que eram tomadas por florestas e pouco ocupadas por brasileiros.

Por aqui, os italianos popularizaram hábitos alimentares, como o consumo de uva, milho, fumo e vinho. Este último, rapidamente passou a ser produzido em larga escala, auxiliando na industrialização da região. O potencial do local, rapidamente, foi reconhecido por imigrantes italianos mais ao sul, que viajaram por Santa Catarina e se estabeleceram ao oeste do estado. A nova população ajudou no crescimento numérico da descendência do grupo imigrante: atualmente, inclusive, calcula-se que os habitantes com ancestrais italianos respondem aproximadamente por metade da população do estado.

Em Piratuba não poderia ser diferente. Aqui, a migração italiana se deu antes ainda da emancipação do município. Em 1910, com o início da construção da estrada de ferro que ligaria São Paulo ao Rio Grande do Sul. O que também atraiu os ítalo-brasileiros para a região foi a fertilidade da terra, que era mais propícia para a agricultura do que no Rio Grande do Sul.

O legado da imigração italiana permanece até hoje no principal polo turístico do oeste catarinense. Restaurantes e vinhedos da região mostram que os costumes italianos são respeitados e, principalmente, passados de geração para geração. A Itália faz parte da história de Piratuba e de Santa Catarina, e assim será também pelas próximas décadas.

Uma viagem à Itália...

A partir de julho, o Thermas Piratuba Park Hotel retoma as atividades. Entre os jantares oferecidos no hotel, os hóspedes e visitantes vão ter a oportunidade de viajar pelos sabores e músicas da Itália, num festival gastronômico só com comidas da região. E não para por aí: México, Arábia e o Brasil – representado com churrasco e feijoada, não foram esquecidos.

É importante salientar que o hotel está tomando todas as precauções necessárias para combater e evitar a propagação do novo Coronavírus. Para isso, está oferecendo álcool em gel nas áreas comuns e higienizando superfícies e mesas com álcool 70%. Quartos também recebem cuidados especiais, com desinfecção necessária para matar o vírus, além de serem purificados com gerador de ozônio, que tem eficácia comprovada contra o Coronavírus. E o restaurante está com mesas distanciadas e todas as medidas sanitárias necessárias. Traga sua máscara e venha degustar essas delícias acompanhado de um bom vinho da nossa adega!

Gostou deste conteúdo e quer conhecer mais sobre a imigração italiana em Piratuba? Visite o site do Thermas e faça sua reserva!

Explore Piratuba: roteiro para 5 dias na cidade das águas termais

Receba Novidades